Psicologia

Consulta de OncoSexologia Psicologia


Os avanços nas ciências biomédicas permitiram diagnósticos mais precoces, assim como mais e melhores tratamentos. Esta realidade permitiu o aumento da esperança de vida e, consequentemente, o aumento do número de pessoas que sobrevivem a uma doença oncológica, ou que farão tratamentos oncológicos ao longo de vários anos.

O aumento da esperança de vida trouxe novos desafios aos doentes e aos profissionais de saúde, nomeadamente em termos dos impactos a médio e longo prazo da própria doença e dos tratamentos realizados. Olhar a sexualidade em oncologia é um desses desafios, já que a maioria dos doentes oncológicos terão problemas sexuais relacionados com o impacto do próprio diagnóstico e/ou dos tratamentos.

As dificuldades sexuais variam de acordo com o diagnóstico, com o tipo de tratamentos, com factores individuais e com variáveis socioculturais; a multiplicidade de factores explica a variabilidade de respostas individuais e conjugais em termos de intimidade e sexualidade.

Apesar desta realidade, doentes e profissionais de saúde não abordam as questões relacionadas com a sexualidade de modo regular. Os doentes aguardam que seja o profissional a abordar o tema, enquanto os profissionais de saúde tendem a não colocar a sexualidade “na agenda”, disponibilizando informação apenas quando são questionados directamente pelo doente.

Neste contexto, “colocar a sexualidade na agenda” é importante, já que contribuirá para o aumento da qualidade de vida dos doentes e dos sobreviventes.

Os factores psicológicos podem ter um peso significativo na origem, na manutenção, ou na resolução das dificuldades sexuais.

Critérios de referenciação de doentes / casais para avaliação psicológica no âmbito da Consulta Multidisciplinar de OncoSexologia:

Dificuldades sexuais que resultam do sofrimento psicológico do(a) doente, ou do parceiro(a);
Dificuldades sexuais que causam sofrimento psicológico do(a) doente, ou do parceiro(a);
Dificuldades conjugais com impacto negativo na sexualidade;
Dificuldades sexuais que não respondem a intervenções médicas;
Sempre que o(a) doente, ou o(a) parceiro(a) manifeste necessidade de ajuda psicológica;
Em todas as situações em que a equipa considere pertinente a avaliação e acompanhamento em Consulta de Psicologia Clínica.

Sempre que verificar uma das situações referidas anteriormente, o(a) doente deve ser referenciado através de:

Envio electrónico;
Contacto telefónico (telefone: 239 400 200, extensão 2520);
Contacto pessoal.


As situações referenciadas serão alvo de reflexão em reunião multidisciplinar, sendo depois agendada 1.ª entrevista de avaliação.



More Info

Contactos

E-mail

Get the App

iPhoneAndroid

Redes Sociais

FacebookTwitter